segunda-feira, 15 de outubro de 2012

VINHOS DO ALENTEJO, OPINIÃO DE UM CONSUMIDOR


Mais um ano em que os alentejanos vieram em peso à capital do País para mostrar os seus vinhos a todos os que quisessem, bastava deslocarem-se à Fundação Champalimaud. No que toca aos produtores, cada vez mais a quererem mostrar tudo aquilo que fazem, resultando de um crescente número em relação ao ano passado. De salientar dos muitos que provei, os Solar dos Lobos, o Herdade da Farizoa Grande Reserva 2008, Margarida Encruzado 2009 e 2010 cheios de vida, o Montefino 2007 e 2008 da Monte da Penha com excelente evolução entre os dois anos , os Ajuda branco e tinto da Herdade da Ajuda, Rovisco Garcia 2010 a manter o seu perfil e que eu gosto muito, e da Herdade dos Machados o Reserva 2007 e o Cerro das Pedras Cabernet Sauvignon 2004 ainda com muita vida pela frente. Destaco também o Santa Vitória Baga 2010 que adorei.


Quanto ao espaço escolhido este ano, um espaço com um exterior lindíssimo, à beira rio com jardim bem tratado e tudo mais, mas dentro do edifício é que foram elas. Apertado, quente, com a electricidade a ir-se pelo menos uma vez enquanto lá estive, e tive cerca de 3 horas. Devia ser dos frigoríficos que puseram ao dispor dos produtores, pois eram simplesmente combinados, onde em cima não refrescavam os vinhos e em baixo quem se esquecesse dos vinhos lá, já se sabe.  Os produtores sem espaço de movimentos, os corredores a partir das 18 horas de sexta feira começaram a ser estreitos para a quantidade de pessoas que começava a chegar na máxima força. Nem quero imaginar no sábado. Cada vez mais pessoas em Lisboa vão a este tipo de eventos, e assim sendo, a organização tem que estudar bem os sítios que escolhe. De resto, os produtores estiveram muito bem com as condições que lhes foram dadas. E que raio de copo foi aquele meus senhores?



Enviar um comentário