segunda-feira, 10 de maio de 2010

NEGREIROS TINTO 2007

Hoje conheci Mário Negreiros. Produtor do vinho Negreiros, na sua Quinta das Amendoeiras, no Douro Superior, local preveligiado e de vinhos nobres.
Depois de alguns mails trocados, fui ter com ele a sua residência, onde nos sentámos e nos pusemos á conversa durante um tempo. Pessoa muito simpática, aberta ao diálogo, sem problemas de contar mais um pouco da sua história e da história de sua familia, com visão e ambição. Começou por me contar como o seu vinho é feito, quantidades, tipo de castas, e tudo o que envolve sua produção. Passámos pelos enólogos Anselmo Mendes e Pedro Bravo, que produziram o Negreiros 2005 e o que está agora a seu lado, João Brito e Cunha que já produziu o Negreiros 2007. Falámos do passado, do presente e do futuro, que também é muito importante estar presente nas ideias a querer implantar. Adorei a conversa, pois é extremamente agradável conhecer e falar com quem sabe e percebe do assunto.
Trouxe de casa dele dois vinhos, Negreiros 2005 Tinto e Negreiros 2007 Tinto.
Ao chegar a casa, não resisti á conversa que me proporcionou, e com grande expectativa, abri o Negreiros 2007.

Não sei se todos o fazem, mas ao abrir uma garrafa cheiro sempre a rolha. Agradou-me muito o seu aroma.
Sua cor é muito escura, compacta.
O seu aroma no copo foi extremamente cheio, fruta madura, groselha e talvez ginja, madeira muito presente, e alguma baunilha, proveniente do estágio que fez na madeira.
Na boca, muito encorpado e com boa acidez. Mais uma vez muita fruta madura, baunilha e algum chocolate negro, suave e pomposo. Cada prova que fazia, notava-se que ele ganhava mais forma, mais contraste, deixava-se descontrair no contacto com o ar. Fiquei bastante surpreendido, pois esperava um bom vinho, mas encontrei um vinho bem superior ao que esperava.
Desde já agradeço ao Sr. Mário Negreiros pela atenção, pelo vinho, pela simpatia, e que tenha todo o sucesso que merece.

Nota: 16,5
Preço:?
Enviar um comentário