segunda-feira, 7 de Janeiro de 2013

E VÃO 3, COM SUPERYOR A ACOMPANHAR


Faz hoje precisamente 3 anos que iniciei este blogue. Escrevo porque gosto, adoro partilhar e com este espaço faço com que leiam o que penso, sobre uma área que adoro, sem pressões de ninguém e à minha maneira, mas também focado nos leitores e consumidores que gostam de ler, ficar esclarecidos ou mais esclarecidos sobre vinhos. Os parabéns também são para vocês porque me seguem e que se sigam muitos anos pela frente, pois o que faço é com gosto.

E para celebrar o 3º aniversário do blogue Adega dos Leigos escolhi um vinho de excelência. Um vinho de uma das casas mais antigas do nosso País, José Maria da Fonseca.

Este vinho é Superyor em todos os aspectos. A garrafa, elegante. A imagem, pesada mas atraente. O vinho, maravilhoso. Não é para qualquer bolso, pois o seu preço é elevado, mas estamos perante um néctar delicado, saboroso, guloso e potente. Periquita é o vinho de mesa mais antigo de Portugal e uma das marcas mais conhecidas no estrangeiro. Este Periquita Superyor 2008 foi lançado em 2011, sendo uma homenagem do enólogo Domingos Soares Franco ao encontro entre a casta e a região, casta essa a Castelão. Voltando ao que está dentro da botelha, vermelho escuro com rebordo ligeiramente acastanhado escuro, aromas fantásticos a amora, couro, especiarias e muito mais, conforme se vai agitando o copo. Seco, acidez média em perfeita harmonia com a fruta, grande frescura,  grande complexidade, intenso e de final de boca longo e persistente. Um vinho muito elegante e prazeroso, um vinho vibrante e namoradeiro, um vinho com que me identifico bastante.

Na minha opinião, está perfeito para se beber agora, e pode ser acompanhado com carnes ou queijos. Sugiro um guisado de vaca.





Região: Península de Setúbal
Castas: Castelão 92,6%, Tinta Francisca 2,4% e Cabernet Sauvignon 5%
Tipo: Tinto
Álcool: 13,2%
Produtor: José Maria da Fonseca
Enólogo: Domingos Soares Franco

Nota Pessoal: 18
Preço: 36€ na Garrafeira Nacional
Enviar um comentário