domingo, 22 de abril de 2012

VISITA À QUINTA DA FONTE BELA ( parte 1 )

No dia 14 de Abril, rumei ao Cartaxo para uma visita à Quinta da Fonte Bela, onde se encontra a sede da DFJ Vinhos. Ali são os escritórios, vinificação, engarrafamento, armazéns, depósito de aproximadamente 3 milhões de litros de capacidade, adega de barricas, tanoaria, laboratório e sala de visitas. À minha espera estava Cristina Antunes, gestora de clientes da empresa, que me mostrou as instalações, contou a história da quinta e da empresa, tudo com muito entusiasmo e dedicação, transmitindo uma enorme paixão pelo que faz, pela área em que trabalha e pelo produto que tem para mostrar ao futuro cliente ou simples visitante. 

Localizada perto de Vila Chã de Ourique, no Cartaxo, esta quinta é centenária, sendo a maior parte dos edifícios da Arquitetura de Ferro no séc. XIX, executada por discípulos de Eiffel, e isso ainda se vê nas estruturas dos telhados todos feitos em ferro onde pousam as telhas, e uma destilaria magnífica mas que está inactiva.
A DFJ restaura algumas barricas em tanoaria própria, o que faz com que alguns vinhos que usem barricas de 2º e 3º ano, tenham um seguimento mais a fundo, escolhendo a tosta a usar depois de restauradas, ficando praticamente novas e conseguindo fazer experiências se é aquele perfil que querem para os vinhos a lançar. Todos os vinhos são pensados e elaborados ao gosto do cliente, resultado conseguido com parcerias, com distribuidores estrangeiros, nomeadamente no mercado inglês, que pedem a José Neiva qual o perfil de vinho que querem para que vença no mercado em questão. Mais de 90% da produção vai para exportação, e estamos a falar de cerca de 6 milhões de garrafas, cujos países são Inglaterra, Polónia, Suécia, Dinamarca entre outros. José Neiva, neste momento, o único proprietário da quinta, entre muitas castas que tem exclusivas para os seus vinhos, introduziu em Portugal a casta Caladoc, cruzamento de Grenache com Malbec, maior produtor português da casta Pinot Noir, também a casta tinta alemã Dornfelder está a ser cultivada. Alvarinho, onde é o maior produtor desta casta fora da região dos vinhos verdes, Alfrocheiro, uma casta do Dão e Alicante Bouchet fazem parte do vasto leque de castas que tem para produzir vinhos. 

A DFJ Vinhos é uma empresa 100% portuguesa, fundada em 1998 e orientada para a exportação de vinhos. Controla cerca de 400 ha de vinhas em quintas maioritariamente na região de Lisboa, Tejo, Douro, Terras do Sado e Alentejo.

Deixo-vos em baixo algumas fotos da beleza da quinta.


A destilaria inactiva mas de uma beleza...





 




Sala de provas


Toda a gama de vinhos da DFJ Vinhos.


Queria agradecer a Luís Gouveia e Vasco Neiva Correia pela amabilidade para com o blogue Adega dos Leígos de uma visita à Quinta da Fonte Bela, e a Cristina Antunes que foi de uma simpatia maravilhosa na maneira como me recebeu, de como falou do projecto e de ter estado num sábado disponível para a visita.

Obrigado a todos.

A seguir, a prova de alguns vinhos da Quinta.
Enviar um comentário