quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

CABRITO, É NA TENDINHA

 
Foi na passada sexta feira, noite de trovoada e grande chuvada, que eu e outros bloggers vínicos, fomos comer um belíssimo cabrito no restaurante A Tendinha, em Mem Martins. Antes de ir mais à frente, queria dizer que para mim, a Tendinha é um dos melhores restaurantes do concelho de Sintra, restaurante que sempre conheci, sempre com gerência familiar. Quando em familia acontece alguma festa, casamentos, baptizados, festas de fim de ano ou outra festa qualquer que seja em grupo, A Tendinha é a escolha. 


Indo para o jantar, que se pode dizer de um jantar que é composto por pessoas que gosto, malta das vinhaças, onde a comida é excelente e onde foram provados vinhos de grande qualidade? Uma noite certamente para nem me lembrar que havia trovoada e chovia à séria.  

Começamos o jantar com umas entradas, salada de polvo, de ovas, manteigas e afins, seguido de uma sopa do mar que estava uma delicia. Depois, o cabrito. Que maravilha de cabrito que por aqui se faz. Repeti. Foram-se abrindo os vinhos, e para iniciar foi um espumante Quinta da Murta Reserva Bruto 2008 que estava muito bom, mas já com alguma madeira bem víncada. Depois, seguiu-se o único vinho branco do jantar, o Xistos Altos 2010 da Muxagat que adorei. Entre os tintos, os que mais gostei foi o Pellada 2003, que foi sem sombra de dúvida o vinho da noite e que acompanhou na perfeição a sopa do mar, mas, os que mais gostei com o cabrito e foi o Quinta do Javali Tinto Cão 2004, que bomba, e o Quinta do Mouro Touriga Nacional 2003 que estava, ai ai. Bons vinhos à mesa com os portugueses a dar cartas aos espanhóis, na minha opinião, tendo estes grande qualidade. No final, um Quinta da Romaneira Vintage 1985 que estava uma maravilha. Queria agradecer ao Carlos Janeiro pelo convite, à Tendinha pelo excelente jantar que nos serviu e a todos os presentes. Obrigado também pelo bolo que o Carlos Janeiro fez questão de oferecer no final deste jantar, bolo esse feito pela Festas com Talento.





















 


3 comentários:

RPM disse...

Opa.
Cabrito me apetece bastante... confesso que fiquei esperando ansioso para ver uma foto do prato!
hehehe.

A última vez que eu cozinhei essa carne acabei postando no meu blog: www.consigliereduvino.blogspot.com.br/2012/10/capra-alla-neretese.html

Se tiver um tempo dê uma olhada.

Um abraço, e parabéns pelo post-degustação.

Hugo Mendes disse...

Olá Nuno,
Não tinha ainda reparado neste post.
Esse Quinta da Murta Reserva 2008, não tem madeira. Uma pequena parte do lote fermentou em barricas muito velhas que não passam madeira nenhuma ao vinho.A madeira que sentiste, pode muito bem ser a "madeirização" fruto da oxidação.
Pode ter origem em vários factores. Pode ser um dos primeiros degorgements que guardado com poucas condições tenha envelhecido mais depressa. Pode ainda ser um problema da rolha.
Tenho curiosidade em saber copo estava a rolha. Lembras-te?
Abraço
HM

Nuno Ciriaco disse...

Olá Hugo.

Não vi a rolha, não sei se os restantes presentes a tenham visto.