terça-feira, 13 de novembro de 2012

ENCONTRO COM O VINHO E SABORES 2012, A MINHA VISÃO

    Deixei aqui ontem algumas fotos de vinhos provados por mim na edição 2012 do Encontro com o Vinho e Sabores. Quanto ao evento, é o evento, digam o que disserem. Nem tudo é perfeito, mas este evento, apesar de muito dispendioso por parte dos produtores, é um evento que se vem afirmando ao longo dos anos. Muitos vinhos em prova, uns extraordinários outros banais, mas aqui mostra-se tudo, ou quase tudo. Existe espaço, apesar de alguns produtores terem excursões de pessoas para provar e beber vinho à maluca entupindo alguns corredores, muita gente concentrada nalguns pontos, mas este evento é um bom evento. Se me perguntarem se acho este evento o melhor, acho que existem outros mais bem estudados e pensados, diferentes, mas é assim a filosofia de mostrar vinhos por parte da Revista de Vinhos e só lá vai quem quer. Não me lembro do ano passado, mas este ano tiveram o cuidado de colocar lombas nos cabos eléctricos, talvez nos outros também lá estivessem, mas não me apercebi. Quanto ás luzes que estavam dentro dos stands, podiam colocar lâmpadas economizadoras pois libertam muito menos calor e poupa energia.
    Quanto aos vinhos, provei umas coisas bem interessantes, como por exemplo os brancos do Casal de Santa Maria, Colares, bons vinhos e diferentes. O Colheita Tardia está um espectáculo. Quinta do Perdigão Alfrocheiro muito bom, o novo licoroso da Adega de Borba bem interessante, Montes Ermos com diversidade e qualidade, o espumante Gazela bem fresco e aromático, sem grandes pretensões, os tintos Duvalley Reserva e Grande Reserva muito bons, já o de entrada de gama só aparece cheiro a aparas e não gostei, o LBV 2007 da Churchills está fantástico, Almeida Garrett Chardonnay está interessante e o novo Quinta do Crasto Vintage 2010 promete e bem. Também tive a oportunidade de provar e bem provar os vinhos Terra D´Alter e que destaco o Alfrocheiro que adoro, o novo Touriga Nacional ainda jovem mas com potencial e o Telhas Branco que é um vinho branco maravilhoso. No final ainda provei e saliento o grande vinho António Maria 2006 que está brutal.
    Algumas pessoas podem pensar que, tanto vinho melhor que estes que lá estavam e mais conhecidos e que não provei, mas a minha filosofia é conseguir provar mais vinhos desconhecidos, porque os conhecidos andam na berra o ano inteiro, e, não tenho vergonha de andar em produtores pequeninos e sem expressão, pois também se aprende e muito com estes.

Para o ano há mais.
Enviar um comentário